terça-feira, 29 de maio de 2012






Gosto de ti pelo que te descubro, pelas conversas, pela paixão que transmites, pelo desejo, pelo que pensas ...

Gosto de ti, mais hoje que ontem porque hoje conheço o que ontem desconhecia e amanhã gostarei ainda mais pelo que te descobrirei ...






;)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Veste o teu maior sorriso dos pés à cabeça..

já nem me lembrava de ti caro duende.. pois bem.. hoje apetece me escrever ;)

Deixando apenas um único conselho: veste o teu maior sorriso dos pés à cabeça.. (e adquire esse hábito)

O Dom da vida é demasiado grande para se restringir a futilidades e vicissitudes inesperadas que podem criar um certo desalento...
Acreditar é uma arma muito poderosa.. e em nd destruidora.. antes pelo contrário.. extremamente construtiva .. Acreditar é uma das chaves do sucesso e da felicidade.. em todos os campos...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O conceito de felicidade que se tem na infância é muito mais puro e rebelde do que o conceito que se atinge na fase adulta..

O
O conceito de felicidade que se tem na infância é muito mais puro e rebelde do que o conceito que se atinge na fase adulta... não está corrompido por pressões sociais... por estereótipos ou por influências externas nas quais vigora demasiadamente o materialismo!....

para ser feliz bastava ter direito a comer aquele gelado que por vezes era negado pelos nosso pais! e que bem que nos sabia quando nos abriam a excepção!

o valor que se perde em relação ás pequenas coisas... e o valor que lhe deixa mos de  atribuir... torna os adultos cada vez mais infelizes a procura de aquilo que já tiveram e que não souberam perpetuar....
vale a pena recuperar um pouco dessa inocência! e não confundam inocencia com ignorância ;)



sábado, 28 de maio de 2011

Ninguém Se Conhece a Si Mesmo


Julga que se conhece, se não se construir de algum modo? E julga que eu posso conhecê-lo, se não o construir à minha maneira? E julga que me pode conhecer, se não me construir à sua maneira? Só podemos conhecer aquilo a que conseguimos dar forma. Mas que conhecimento pode ser esse? Não será essa forma a própria coisa? Sim, tanto para mim como para si; mas não da mesma maneira para mim e para si: isso é tão verdade que eu não me reconheço na forma que você me dá, nem você se reconhece na forma que eu lhe dou; e a mesma coisa não é igual para todos e mesmo para cada um de nós pode mudar constantemente. E, contudo, não há outra realidade fora desta, a não ser na forma momentânea que conseguimos dar a nós mesmos, aos outros e às coisas. A realidade que eu tenho para si está na forma que você me dá; mas é realidade para si, não é para mim. E, para mim mesmo, eu não tenho outra realidade senão na forma que consigo dar a mim próprio. Como? Construindo-me, precisamente. 

Luigi Pirandello, in "Um, Ninguém e Cem Mil"

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Também é preciso parar para não reflectir!

Estranho o titulo deste post... acaba por parecer que vai ao desencontro da temática do blog... mas no fundo não! e passo a explicar porque.... normalmente o ser humano considera que a reflexão é um passo fundamental para a correcção de determinados erros, mudanças de atitudes ou posturas perante determinadas situações nas nossas vida de modo a reorientar-se e direccionar-se ao encontro de um melhor caminho para atingir determinadas etapas e ou objectivos numa conjuntura de bem estar pessoal e de realização pessoal seja  lá qual for a situação peculiar vivida em questão.... ora bem... mas o que acontece muitas vezes é que esse mesmo ser humano cai no erro de tentar arranjar digamos assim... uma explicação para tudo principalmente para os infortúnios  e ou situações mais ou menos inesperadas..talvez obstáculos ou  as tais "pedras no sapato" que dificultam certas caminhadas.. e nesse mesmo processo de tentativa de reflexão cai no erro de "EMPANCAR" porque no fundo existem determinadas respostas que por mais esforço que se faça não se atingem simplesmente porque o cérebro baseado em mecanismos de defesa emocional quer! o medo surge e surge o bloqueio... a reflexão torna-se inimiga do avanço... por isso é que muitas vezes deves dizer baixinho para ti mesmo: QUE SE LIXE... e ignorando seja la o que for... continuas o teu percurso.. e mais a frente ai sim vais encontrar a tua resposta..e se calhar até desvalorizas essa mesmo problema.. porque ele solucionar-se-á por si mesmo :). porque contrarias te todo aquele processo referido anteriormente... e aplicando moderamente e tranquilamente o QUE  SE LIXE... aceitas que faz parte pensar para parar e parar para pensar... mas também faz parte prosseguir como se nada fosse...
e tranquilamente chegamos lá ;)

porque um problema de hoje é um "problemazita" amanha.. e uma alegria de hoje mais alegria de amanha e depois e depois... é a chave da felicidade ;)

terça-feira, 24 de maio de 2011

"O mais infeliz dos homens é aquele que assim se julga”


  Não são os acontecimentos em si que fazem alguém ser feliz ou infeliz, mas a ideia que faz desses acontecimentos. Basta a gente observar e ouvir. Para os pessimistas ou tristes, os ventos gemem. Para os otimistas, os alegres, eles cantam. É uma questão de percepção, de postura mental, pessoal. Claro, pode-se errar, fracassar, até fazer asneiras, que ninguém é perfeito.
 É preciso levantar, reiniciar a luta, dar um novo rumo ao barco da existência. Esta precisa ter um objetivo. Ficar a chorar o leite derramado não te  leva a lugar nenhum. Por tudo isso percebe-se que é a mente que faz a felicidade ou a destrói, que constrói o sucesso ou cria a depressão. Enfim, é a mente que direciona a própria vida, o pensar positivo ou negativo da pessoa.

Porque felicidade e infelicidade decorrem de estados mentais ou de estado de espírito.



segunda-feira, 23 de maio de 2011

sábado, 21 de maio de 2011

Durmo ou não? Passam juntas em minha alma.

Durmo ou não? Passam juntas em minha alma

Durmo ou não? Passam juntas em minha alma
Coisas da alma e da vida em confusão,
Nesta mistura atribulada e calma
Em que não sei se durmo ou não.

Sou dois seres e duas consciências
Como dois homens indo braço-dado.
Sonolento revolvo omnisciências,
Turbulentamente estagnado.

Mas, lento, vago, emerjo de meu dois.
Disperto. Enfim: sou um, na realidade.
Espreguiço-me. Estou bem... Porquê depois,
De quê, esta vaga saudade?


                    Fernando Pessoa

sexta-feira, 20 de maio de 2011

só assim se explica a não robotização do homem...

Não podemos crer em tudo... ser céptico pode ser e pode não ser problemático... mas devemos acreditar em algo? ou acreditamos e vivemos felizes nessa mesma crença ou desacreditamos e vivemos em busca de algo que nos faça acreditar...
parece fácil?
mas a "espécie" humana necessita de acreditar em algo... religiões.. energias... força da mente... budha... partilha... ciência... reiki... Deus... coincidências....amor...destino...karma...vidas extraterrestes....  seja lá  o que for....ia-me cansar de enumerar exemplos... uns mais ou menos ridículos dependendo do leitor...

até porque reparem! :  não acreditar em nada é? : acreditar que nada existe...e isso não deixa de ser acreditar... se para uns é um vazio para outros é suficientemente "suficiente"! por muita que a crença da descrença possa parecer inválida... ora concluindo todos acreditamos em algo mesmo aqueles que não tem noção disso ou fingem não ter... e lutamos por acreditar em algo  mais que nos faça sentir melhor...
só assim se explica a não "robotização" do homem...e assim se perpetuam momentos de felicidade...ACREDITANDO seja lá no que for ;)

ps:. e uma crença hoje é uma descrença amanha e vice versa ;)

quarta-feira, 18 de maio de 2011

As Minhas AnsiedadesAs minhas ansiedades caem 
Por uma escada abaixo. 
Os meus desejos balouçam-se 
Em meio de um jardim vertical. 

Na Múmia a posição é absolutamente exata. 

Música longínqua, 
Música excessivamente longínqua, 
Para que a Vida passe 
E colher esqueça aos gestos. 

Fernando Pessoa, in 'Cancioneiro'


quarta-feira, 11 de maio de 2011

"deixa me estar no meu mundo"

O nosso mundo!.... "deixa me estar no meu mundo"... é uma frase frequentemente proferida por nós... realça e revela a necessidade que o ser humano tem em fugir levemente do mundo real e mergulhar um pouco no seu imaginário... alguns chamam-lhe fantasiar... recolher as hostes... ou até mesmo medo de enfrentar a "crueldade" da realidade real... então o "nosso mundo" é sempre um cantinho tanto ao quanto reconfortante como um espaço único bem definido, sem fronteiras e ao mesmo tempo muito bem delimitado pela crença de um mundo um pouco mais perfeito se é que isso existe, do que aquele que estamos habituados... é nesse "nosso mundo" que nos obtemos respostas... e é nele que nos reconfortamos... que divagamos... que ouvimos o eco da nossa própria voz.... no nosso mundo não entra o stress do quotidiano..as preocupações... as angústias ficam do lado de fora do lado de lá... os conflitos minimizam... o nosso mundo é quase tão ou mais reconfortante que a nossa almofada....
é um retiro espiritual... de livre acesso e de fácil acesso... no nosso mundo a chave está sempre na nossa posse entramos e saímos quando queremos... e a passagem fica barrada a quem não queremos... é simplesmente nosso....
mas acima de tudo é importante fazer a transposição e a comunicação entre o nosso mundo e o mundo real.... ambos se dissociam.. podem não ter nada a ver... mas é fundamental complementarem-se... só assim tornas o "mundo real" num mundo melhor ;) e o teu mundo fica mais perfeito...

sexta-feira, 6 de maio de 2011

"Querer é poder"

"Querer é poder"
Querer muito- é poder ainda mais!
Querer pouco
è prós demais...


Querer tudo
è muita ambição...é um risco...
mas....Querer pouco 
è frustação!

E arriscar...e querer.... é  simplesmente um dom de quem sabe viver! porque querer é poder....

Pedro S.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

"daria tudo o que sei em troca da metade do que ignoro"

words...sometimes are just more words.....

hoje...escrevo por escrever.. em busca de pensamentos férteis... reconheço (hoje, pois não quero perpetuar e daí o reforço da  palavra hoje)  uma certa dificuldade em rebusca los... insisto... e quanto mais insisto... mais me deparo com uma dificuldade ainda maior... extrema...
mas ao mesmo tempo... acredito sempre ...mas alguma coisa reprime a capacidade criativa de escrita... o desinteresse... a falta de motivação... ou simplesmente uma noite mal dormida.... pensar muito não é sadio....
ser perfeito implica imperfeição.... e hoje por mais desarticulado incoerente ou ate desinteressante que seja o  o meu discurso... é o que é! n interessa as causas... nem sequer fragmentar as peças em busca de um motivo... interessa me sim minimizar... o uso das palavras..... porque pensar é bom (ás vezes) ao contrario do que disse antes.... mas dizer o que se pensa pode ser mau ou ainda pior...
pause...

mas no fundo não tem nada a ver.... porque não..basta?

terça-feira, 12 de abril de 2011

Relacionar-se é parte do ser humano sim!! mas a suave escravidão do vazio está mal..muito mal...

Nós temos uma tendência de usarmos nossos parceiros como fonte de sursis. Afogarmo-nos nos braços do ser amado é tido como desejável, a totalidade do amor; na realidade, essa é a principal fantasia da cultura popular. Fazemos das nossas instituições mães de aluguer que cuidem de nós, mantenham-nos a salvo, abrigados, ajudam-nos a evitar o crescimento. (…) Quem não desejaria o inocente sono da infância, a suave escravidão do vazio?

domingo, 10 de abril de 2011

Pois é... no "repasto" e nas horas de "ruminar" sente-se um certo contentamento...





















Pause... Alegria...Satisfação... dever cumprido.....

Pause...Alegria....Motivação...Acção
Acção.....Vida

Pois é... no "repasto" e nas horas de "ruminar" sente-se um certo contentamento...pelo prado que observas... pelo sol... e pelo sabor da erva.... é óptima a sensação de felicidade no momentos mais simples... e é tão óptimo como serem momentos rapidamente vertiginosos e por vezes fugazes mas também é óptimo termos a capacidade de perpetuá-los....
Ultimamente aprendi ou melhor reaprendi a escutar.... digamos assim... a valorizar a escutar... a interagir... e essa interacção muitas vezes não implica um diálogo.... as emoções são  tão (mais) visíveis quanto mais te dedicares a olhar para o holograma...  rapidamente desfaz-se a ilusão e elas a florescem até num simples pestanejar....

voltando ao mundo real... e ainda bem... "manhana trabajo"  pero bien mui bien ;)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Instruções para vida!!

  1. Acredita no amor á primeira vista
  2. Nunca te rias dos sonhos de outra pessoa
  3. Paga mais do que deves a uma boa baby sitter.
  4. Nunca te recuses a ser jurado. É um dever cívico, com o qual vais aprender muito.
  5. Aceita um rebuçado contra o mau hálito, se alguém to oferecer.
  6. Quando achares que estás um spanto, avisa a tua cara.
  7. Ama profundamente e apaixonadamente. Podes sofrer, mas é a única maneira de viveres completamente a vida.
  8. Nunca peças desculpa por chegares cedo de mais a um encontro.
  9. Abre a porta do carro á tua mulher e ajuda-a sempre a vestir o casaco.
  10. Sê Brando a exercer a disciplina.
  11. Quando regressares à sala, a seguir ao intervalo duma conferência, senta-te num lugar diferente daquele onde estavas.
  12. Junta uma enorme pilha de folhas em todos os Outonos com algém que gostes.
  13. Oferece-te como voluntário. Às vezes, por detrás dum trabalho que ningém quer, esconde-se uma grande oportunidade.
  14. Nunca guies com um copo de café entre os joelhos.
  15. Anda sempre com lenços de papel no porta-luvas.
  16. Recorre a um agente de viagens. Não é mais caro e poupa tempo e trabalho.
  17. Tira um retrato profissional. Actualiza-o de três em três anos.
  18. Nunca percas a oportunidade de andar numa montanha russa.
  19. Nunca percas a oportunidade de pedir a alguem que te esfregue as costas.
  20. Nunca percas a oportunidade de dormir à sombra dum caramanchão.
  21. Preenche sempre os cartões de garantia e envia-os imediatamente.
  22. Nunca te esqueças do conselho do nosso amigo Ken Beck: Quando vires uma tartaruga a atravessar a estrada, pára e põe -a em segurança do outro lado.
  23. Inventa um pequeno sinal que só a tua mulher conheça para lhe dizer que a amas numa sala cheia de gente
  24. Nunca sejas o primeiro a quebrar uma tradição de familía.
  25. Estaciona o carro junto  à extremidade do parque de estacionamento. Haverá menos hipóteses de te amolgarem as portas.
  26. Faz um diário dos teus êxitos profissionais. Quando pedires aumento, disporás das informações necessárias para o justificarem.
  27. Nunca assines contratos com espaços em branco.
  28. Conduz de forma como gostarias que os teus filhos o fizessem. Nunca guies depressa nem com imprudência quando transportares crianças no carro.
  29. Sê correcto nas discussões. Nunca chames nomes.
  30. Nunca tires o último bocado de frango.
  31. Informa-te sobre as condições de reembolso de qualquer loja onde compres um artigo que custe mais de 50 dólares
  32. Quando fores pedir dinheiro, veste-te como se tivesses muito.
  33. Nunca apanhes nada do chão num taxy
  34. Não julgues as pessoas pelos teus parentes.
  35. Come um pedaço de chocolate para tirar o mau hálito a cebola ou alho.
  36. Aproveita todas as opurtunidades de formação profissional que tiveres.
  37. Quando viajares, deixa as jóias verdadeiras em casa.
  38. Põe a tua morada tanto no interior como na parte de fora da bagagem.
  39. Nunca dês o número do teu cartão de crédito pelo telefone se não tiveres sido tu a fazer a chamada.
  40. Lembra~te de que todas as pessoas que conheceres têm medo de qualquer coisa, adoram qualquer coisa e perderam qualquer coisa.
  41. Verifica cuidadosamente as contas de hotel, especialmente o preço das chamadas locais e interurbanas.
  42. Fala devagar mas pensa depressa.
  43. Quando Alguém te fizer uma pergunta a que não queiras responder, sorri e pergunta - Porque é que quere saber isso?.
  44. Não admires as pessoas pelo dinheiro que têm, mas pelas formas criativas e generosas como o utilizam.
  45. Leva dois alfinetes-de-ama grandes sempre que viajares para poderes fechar bem os cortinados do teu quarto.
  46. Nunca traias a confiança de ninguém.
  47. Nunca cantes vitória prematuramente.
  48. Nunca saias da cozinha quando tiveres alguma coisa ao lume.
  49. Diz < santinho> quando houvires alguém a espirrar.
  50. Aplica castigos á altura do crime.
  51. Lembra-te de que no presiso momento em que sisseres haverá alguém que, perante a mesma situação, dirá
  52. Dá uma volta pela ala principal da biblioteca pública da 5ª Avenida da próxima vez que fores a Nova Iorque. É inesquecível.
  53. Nunca dês a ninguém um conjunto de fondue nem nada pintado de verde-abacate.
  54. Nunca deixes a tua família ficar tão ocupada que não consigam tomar, pelo menos, uma refeição todos em conjunto.
  55. Nunca te esqueças dos três RRR: Respeito por ti próprio; Respeito por os outros; Responsabilidade por todos os teus actos.
  56. Leva o teu despertador quando fores de viagem. Por vezes, o serviço de despertar dos hotéis não é de confiança.
  57. Quando perderes, não percas a lição.
  58. À noite deixa a luz alpendre acesa até a família estar em casa.
  59. Quando fores convidado para jantar em casa de alguém, leva uma lembrança para o dono ou a dona da casa. Um livro é uma boa escolha.
  60. Não ignores as pequenas alegrias da vida enquanto andares à procura das grandes.
  61. Arranja uma caixa de primeiros socorros bem equipada para teres em casa e outra para teres no carro.
  62. Nunca te deixes fotografar com um copo de cocktail na mão.
  63. Não permitas que um pequeno desentendimento fira uma grande amizade.
  64. Não cases com uma mulher esquesita com a comida.
  65. Encomenda um catálogo de sementes e lê-o no dia em que cair o primeiro nevão
  66. Quando andares à boleia em território desconecido, traz sempre contigo uma bússola e um kit de sobrevivência.
  67. Lê um livro sobre apicultura.
  68. Quando estiveres perdido ou em dificuldade faz sinais triplos -- três gritos, três tiros ou três toques de buzina.
  69. Não fiques admirado se descobrires que sorte favorece aqueles que estão preparados para ela.
  70. Quando te pedirem que toques piano, fá-lo sem te queixares nem arranjares desculpas.
  71. Assina revistas de informação ao consumidor.
  72. Não esperes conseguir transformar uma pessoa desmazelada numa pessoa asseada apenas com o teu amor.
  73. Tira o emblema de convenção assim que saíres da sala onde ela decorreu.
  74. Procura formas de fazer o teu patrão brilhar.
  75. De vez em quando convida uma pessoa que estiver a seguir a ti numa fila a passar à tua frente.
  76. Traz sempre contigo um pequeno canivete.
  77. Lembra-te de que quem rouba um ovo também rouba uma galinha.
  78. Encontra-te regularmente com alguém que tenha opiniões completamente diferentes das tuas.
  79. Não procures sarilhos.
  80. Não tragas para cima de ti os sarilhos de outras pessoas.
  81. Dá às pessoas mais do que elas esperam e fá-lo com alegria.
  82. Sê o primeiro a lutar por uma causa justa.
  83. Quando tiveres de escolher entre duuas coisas excitantes, escolhe aquela que nunca tiveres experimentado.
  84. Lembra-te de que nunca será tempo perdido aquele que servir para duas pessoas ficarem mais amigas.
  85. Evita aproximar-te de cavalos e restaurantes pela parte de trás.
  86. Verifica se a apólice do teu seguro automóvel inclui eventuais danos num carro alugado. Os seguros das empresas de rent-a-car são muito caros.
  87. Se presisares de um sócio, arranja um que entre com algum dinheiro para o negócio.
  88. Nunca faças nenhum comentário desagradável sobre o cão de outra pessoa.
  89. Se tiveres problemas com produtos ou serviços duma empresa, vai directamente ao topo. Escreve ao presidente e, a seguir, telefona.
  90. Não andes em nenhum carro cujo condutor tenha estado a beber.
  91. Pensa duas vezes antes de aceitares a proposta mais baixa.
  92. Nunca percas a oportunidade de dançar com a tua mulher.
  93. Pede alguns cachorrinhos emprestados por uma tarde e vai visitar um lar. Fica ao longe a ver os sorrisos nos rosots das pessoas.
  94. Quando estiveres hesitante sobre o que hás-de vestir, um casaco azul com calças cinzentas, uma camiza branca e uma gravata de seda às riscas vermelhas e azuis é quase sempre uma decisão acertada.
  95. Quando entrares num autocarro, diz "Bom Dia" ao motorista. À saída diz-lhe "Obrigado".
  96. Sempre q    ue ofereceres um livro, escreve uma pequena dedicatória na parte de dentro da capa.
  97. Nunca dês nenhum presente sem estar embrulhado num papel bonito.
  98. Quando impuseres normas aos teus filhos certifica-te de que são claras, justas e consistentes.
  99. Não penses que um equipamento caro pode compensar a falta de talento ou de prática.
  100. Aprende a dizer "Amo-te" em françês, italiano e sueco.

terça-feira, 5 de abril de 2011

"e ainda bem que assim o é"

Pensar demasiado nas coisas... pode ser mau... pensar pouco pode ser pior... e não pensar? sentir demasiado as coisas pode ser mau... não sentir nada pode ser pior ...e não sentir? sonhar demasiado é inspirador... é motivador... mas também pode ser fantasiar..e entramos no ridículo..mas sonhar  pouco tb revela falta de ambição.... é isso é mau...
mas afinal gerir as emoções e enquadra las num plano racional é muito mais difícil do que pensa... porque se não se pensa até se torna fácil.... e ainda é mais difícil quando nos próprios temos consciência disso... em vez de tomarmos controlo da situação ela esvai se entre os dedos... mas não vivenciando e não experienciando... é sempre muito mais fácil... aliás a coerência prevale como um diamante lapidado... mas nem sempre é assim... e ainda bem que não o é ;)
e gerir isto tudo? e porque pensar em gerir isto tudo?
a insatisfação faz parte da essência humana... e rebeldia emocional é o "exlibris" da existência humana...

as estações continuam a existir... a lua varia constantemente... as marés sobem as marés descem... o sol brilha... a tempestade espreita....
e o mundo não deixa de "rolar"... e não vai deixar de o fazer... porque é mesmo "isto" que o faz girar ;)  e ainda bem que assim o é ;)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

«interminavelmente»



Hoje apetece-me...
                                  voltar a escrever,

Faço-o simplesmente desta forma...sem ser eu...silenciosamente....

Entre a folha branca e o gume do olhar
a boca envelhece

Sobre a palavra
a noite aproxima-se da chama

Assim se morre dizias tu
Assim se morre dizia o vento acariciando-te a cintura

Na porosa fronteira do silêncio
a mão ilumina a terra inacabada

Interminavelmente

Eugénio de Andrade

segunda-feira, 28 de março de 2011

n percas oportunidades só porque as pressões sociais ou as ideias preconcebidas te reencaminham para atitudes pré concebidas... o risco faz parte da vida... e não conheço nenhum sucesso seja em que área for..  sem a sua margem de risco...

pensar  é bom... mas pensar de mais é perigoso ... eu que o diga ;)

sábado, 26 de março de 2011

"bolas"....

bolas... terei ou não o direito de aceitar uma mudança de humor assim de uma maneira tão agressiva e inesperada... mas porque é que somos invadidos por factores externos inesperados que chocam connosco e com o nosso equilíbrio emocional...pois mas para conhecer o equilíbrio temos que conhecer realmente os factores adversos a ele e só assim o mantemos.... e porque é que nos deixamos "massacrar" com este tipo de embates.. são tipo ondas vibratórias ou zumbidos incomodativos ou até  como um eco que não pára de ensoar...
bolas...
mas é precisamente por existirem momentos assim que devemos aguardar uma nova mudança repentina de humor... e nesse caso tudo volta ao normal... a bipolaridade é sempre indesejada.. e não convem... as mudanças de humor e estado de espírito são dados adquiridos e factos mais do que verídicos...
é fundamental o "jogo de anca" para de repente... booommmmmm
já passa ;=)

sexta-feira, 25 de março de 2011

In (vista)

A falta de flexibilidade das nossas opiniões pode se tornar-se tão prejudicial e tanto mais prejudicial quanto mais tiveres convicção de que elas estariam certas mesmo não estando... e no fundo... estão... ou ate podem não estar... mas podem deixar de estar de um momento para o outro... porque tudo depende do ponto de vista...

ponto. In(vista) na flexibilidade (mental) ;)

Inventa

Inventa-- Faça diferente....

E aplica esta teoria em muita coisa na tua vida... vais ver que resulta ;)

quarta-feira, 23 de março de 2011

gestos simples.. perdidos no esquecimento...

Nunca é demais dizeres "as pessoas" o quão importante são na tua vida.... fortalece e incrementa os laços... mesmo os que já existem...

roll on;)

volatilidade... efemeridade... vida...


Tudo é tão volátil!

A chuva que durante a noite foi caindo ou o Sol que ainda há pouco rasgava os céus com o seu calor e que entretanto também já murchou.
A felicidade que se esvai no próximo suspiro, ou a tristeza que se esfuma no próximo sorriso... entre um e outro pode existir apenas o tempo de um pestanejar...
Às vezes, sinto que se me rasga o peito numa dor sem fim, uma dor boa de sentir... para no segundo seguinte se agudizar numa dor doída e sofrida de ausência, de vazio...
Procuro transformá-la em grito, sinto até a dilatação dos pulmões num impulso de grito... que sai mudo, e se retraem os lábios e a boca à posição de fechada, mesmo sem perceber o que acabou de acontecer... e dói...
Outras vezes, sinto que me assomam as lágrimas perante a beleza e a essência dos sentimentos tão sentidos, tão bonitos, ou apenas de um local, de um pensamento, de uma paisagem, de uma fotografia, de um momento, de uma memória... Que lágrimas boas que me enchem a alma de alegria e felicidade de existir, de me saber, para logo se transformarem em lágrimas de sangue por tudo o que sinto que é tão grande, tão grande que não cabe em mim... tenho de repartir... 
Vezes há ainda, em que sinto vontade de rasgar o horizonte com punhais de esperança, para logo de seguida a esperança me escapar, quais grãos de areia numa ampulheta... tudo é tão volátil... ...as certezas de que duvido e até as dúvidas de que tenho certeza...
Os silêncios são ensurdecedores, mas por vezes mudos e iluminados pela escuridão, inundados de poesias e pintados com as cores do arco-íris. Silêncios de sons compassados como um mar que se espraia em areias de mil cores, ou chicoteado em fúria contra as rochas num dia de tempestade, ou ainda, em acalmia, sereno… tudo é tão volátil. 
As palavras brotam do silêncio como as notas numa escala musical, e eu escuto! Eu sou o instante, volátil! O silêncio é uma coisa! E se eu me calo... o silêncio falará baixinho. Quando o silêncio fala baixinho vem o escuro, e com ele o medo, as trevas, e nas asas do breu me vejo cercada... confusa...
Feita um instante, soergo-me e dou o compasso... não deixarei que me vençam!
A Lua ilumina a minha noite no silêncio esplendoroso das coisas, e estas bailam ao som das poesias coloridas como borboletas em torno das flores! 
Hoje, a caneta preta habitual não me é de serventia... Parada, inútil por entre os meus dedos...
Olho, estática, a folha de papel, lisa e branca...
Sinto o cheiro do papel virgem onde me quero derramar, ao qual me quero entregar, e a caneta parece só querer escrever saudade, escrever tristeza, escrever receios e medos, escrever dor...
Nego-lhe essa vontade e ponho a caneta de lado... hoje não vais ser a minha companheira,  pegarei em ti novamente quando me transmitires esperança, confiança, coragem...
Pego nos meus lápis de cor e com eles pinto as palavras mais tristes com as cores mais alegres.
A "lágrimas" pinto de rosa; a "dor" pinto de vermelho; a "tristeza" pinto de azul; a "incerteza" pinto de laranja... reservo as restantes cores.
Desenho o meu sentir no papel ao som das letras coloridas...
Pinto a minha vida com as cores que tenho no coração...
Quero vestir a palavra "solidão" de verde, cor que tinha de reserva...
Quero transformar o negro do "medo" e o roxo da "ansiedade" no lilás, ou no alfazema e por eles deixar entrar a Luz.

Quero inventar uma cor nova para a "coragem"...
Quero um novo significado para volátil, porque o que é agora não o é no instante que se segue.

domingo, 20 de março de 2011

o segredo não é um livro de mts palavras e com valor acrescido... muito menos uma moda ;)

Basicamente, utilizando os princípios de envolvimento das pessoas e fundindo a mente eo coração,  obtens  resultados que podem surpreendê-lo! E isto funciona com toda a gente! E em qualquer circunstância...

nao sei nada... mas mando me ;)

estou estupefacto... tenho esse direito... estou feliz e estou triste ao mesmo tempo... motivos? inválidos... vão contra tudo o que eu mais possa ou não ter redigido ate então... no fundo tem uma certa piada... quando nos próprios duvidamos de nos mesmos... um dia alguém me disse: segura te!! eu inconformado respondi... seguro me? tas parvo... dizes coisas sem nexo.... mas no fundo o nexo não era nexo era simplesmente algo desconexa do da minha mente.... gosto tanto de mim que as vezes me odeio.. ou por não gostar o suficiente ou por criar um fingimento incrédulo de uma pseudo adoração.. não sei!! Não SEI NADA....  as sinapses são tantas que me questiono do motivo de tal processo interneuronial.... ai opah... devo confessar vibro demasiado com a racionalidade das emoções... ou com a emotividade da racionalidade... ai opah... aprendi que são estes os dilemas que me fazem n desistir da essência.. e perguntas que essência?
deixa te de pseudo ilusionismos gramaticais....
cresce e aparece.... se apareces existes e se cresces perpetuas a tua existência e isso é muito bom.... não fosse a entidade de Baco dominar um enfermo mortal... todo este texto fazia sentido.. foi um sabado a noite.. deleitado no rubro ao rubro da rubridão ;)
Boa noite... alegria... nao rima com bom dia ;)
mas Boa noite...

sábado, 19 de março de 2011

A dificuldade em lidar com a verdade!


As pessoas gostam de saber a verdade, mas não sabem muito bem como a enfrentar. Será porque magoa assim…muito? Será porque nos sentimos, digamos…um pouco melhor, por alguém, teoricamente, não nos esconder mais nada? Quando essa verdade não nos convém, mas mesmo assim insistimos espontaneamente em querer saber, sendo duros para nós próprios… pois claro, precisamos ou pensamos que precisamos de saber tudo acerca de determinada coisa. Às vezes temos até uma ideia, uma leve suspeita do que nos vai ser dito, um caricato pressentimento que algo não está a correr como queríamos. Mas ainda assim… temos de saber. O que pedimos por vezes conduz-nos ao que não queremos ouvir. Não… nem pensar, não pode ser.Mas o mais estranho é que é mesmo. Ou talvez não. Nós é que pensávamos que não podia ser. E depois ouvimos, lemos, sentimos aquilo que era suposto não acontecer na nossa imensa imaginação. E a nossa reacção é quase sempre a mesma: Eu já sabia! O que é uma força de expressão, porque não sabíamos nada, nada de nada. Eu já sabia, é que era o meu pior pesadelo… isto é o que as pessoas querem dizer quando dizem: eu já sabia. Ou então um atónito: “não posso acreditar!”, claro que se pode acreditar, ou melhor deve-se acreditar. Ou será que nos querem confundir? E pronto aquilo que ambicionávamos saber está escarrapachado á nossa frente. Sim… depois já podemos respirar, só um bocadinho, porque depois temos muito por onde escolher: apatia, lágrimas, desespero, descontrolo, raiva e finalmente resignação. E depois, não nos lembramos de nada para contrapor a verdade e nada nos faz lembrar porque ambicionávamos tanto conhece-la. Mas então? Não era isso que queríamos saber? A verdade. Exposta e rude, como ela é, sem enfeites, sem uma fitinha vermelha em papel resplandecente. Afinal foi o que pedimos. E diz-se por aí que cada um tem aquilo que merece… mas eu tenho a certeza que não. Mesmo que doa muito, que nos faça chorar baba e ranho e que pensemos que o mundo acabou… porque não era o que queríamos ouvir. O mundo não acaba, por uma verdade singular. Olha… toma, embrulha, é para aprenderes, para a próxima não cais no mesmo, mas é óbvio, certo que irás cair… porque a verdade é sempre a que queremos ouvir, enfeitada como uma prenda de Natal… que ainda está para vir. Não devia ser olho por olho, dente por dente, pão pão, queijo queijo, toma lá dá cá, tudo tem um preço e tudo se paga?Pois… mas a verdade é como o azeite, vem sempre ao de cima, já dizia a minha avó. E mais vale uma vil verdade do que uma mentira escondida.

Aventura te ;)

Viking Line
Na vida não temas o embarque! existe sempre uma bóia de salvação ;)
AVENTURA TE :)

não gosto nada..

detesto que me desiludam...

mas são as pequeninas desilusões.. as que são meramente insignificantes que me fazem projectar a menor expectativa e reduzir  algum excesso de confiança em pessoas e ou coisas num futuro próximo...
confesso que numa fase inicial não lido muito bem com isso.. mas com o passar do tempo... encaro com a maior das naturalidades e regojizo me de ter passado por tal situação... por que isso faz parte de um processo de aprendizagem...

há umas desilusões mais ou menos significativas... e as que me chateiam mais ate são as menos significativas, nao sao as que não estão relacionadas com situações amorosas, profissionais e ou familiares.. porque normalmente dessas sei eu bem reagir...
mas pronto... ;)
também faz parte da vida ;)

quinta-feira, 17 de março de 2011

faz falta "gente" diferente ;)

continuo achar que as pessoas com determinação e convicção seja no que for... tem que ter um certo cuidado ao pisar os meandros movediços da nossa sociedade... são sempre alvos abater ou porque projectam aos olhos de quem vê um certo grau de arrogância ou porque infelizmente aos olhos de quem vê são tudo aquilo que ate gostariam de ser... é verdade que as coisas não são assim tão lineares... tb não podemos ser repentinamente radicais....reparem que essa postura não é a politicamente correcta .. agita...mexe..perturba..incomoda... e mais verdade ainda  se for uma pseudo-afirmação  de quem a tem também rapidamente cai nos escombros de uma tentativa em vão e facilmente se torna desmascarada....

continuo achar que existem as pessoas pessoas normais... que tem simplesmente o direito de o ser.. e aquelas que se destacam... e essas são como um spam para alguns... mas não devem tendencialmente  coloca los no  vosso correio electrónico nao desejado.... mas sim e até nos vossos favoritos...e eu pessoalmente tenho um certo admiração e respeito... e louvo essa atitude... por mais incomodativa que possa parecer...

mas a minha opinião vale o que vale... ;)

faz falta "gente" diferente ;)

quarta-feira, 16 de março de 2011

as amizades no facebook sao um reflexo das amizades na vida real!

as amizades no facebook sao um reflexo das amizades na vida real:
os verdadeiros amigos.
os amigos...
os amigos por conveniência... existe algum interesse associado!
os amigos do "tá tudo"!
os conhecidos!
os colegas de emprego!
os amigos dos copos!
aqueles amigos que não são amigos mas eles acham que são teus amigos! e tu proprio n sabes porque!
os amigos de circunstância! ou se cruzaram contigo num jantar ou em qualquer evento social e por empatia la foste procurar no facebook ou eles a ti na tentativa de reforcar um novo laço!
as amigas que os teu amigos falam e tu adoravas conhecer tal curiosidade mórbida sei la de teres um pouco de sorte!
os amigos do social! é fixe ser amigo de alguem social só porque sim?... tera novos amigos?
os amigos do colegio.. do ginásio... do bar do liceu...
os amigos da terra.. do local onde passavas ferias quando ainda ias de ferias com os teus pais...
a familia...
aqueles "amigas".... e "amigos" para alguns!!
as amigas e os amigos do impulso.. ora vou  lá adiciona lo ou porque n tenho nada para fazer e o dia está aborrecido ou porque ja o tinha pensado a muito e hoje apeteceu me.. ou simplesmente porque hoje o/a vi a passar por mim e  pronto...nem tudo tem um motivo!!
os amigos dos tempos aureos... da universidade...
as amigos(as) do engate!
as ex namoradas ( cujas relacoes terminaram n bem mas n tao mal que possa ainda permitir algum contacto.. para alguns um contacto de circunstancia LOL)
os amigos da bola... da politica... do futebol...

mas o chato sao aqueles amigos que tu n sabes que sao amigos e n entender por que carga de agua estao teus amigos na rede social... simpatia??? estaras a espera que se tornem teus amigos? ou simplesmente ainda n tiveste paciencia para os restringir do teu nucleo... porque no fundo n eliminas nada que ainda nem sequer faça parte da tua vida... é so mais um quadradinho de banda desenhada no canto inferior esquerdo caso o chat esteja online ;)

moral da historia::: os amigos os verdadeiros amigos... também podem estar no mundo social (facebook) mas nem todos ;) cabe te a ti.... selecciona los.. porque no fundo no tempo da expansao facebookiana ter muitos amigos era quase um motivo de orgulho... mas como todas as modas... tem o seu fim também facilmente retomam ao seu principio e ao seu significado real...
E ESTA HEIN!?

ps: espero n ter sido tao caustico ;)